miopatias

Miopatias: o que são e quais os tipos

Miopatia é o conjunto de doenças de natureza muscular que atingem exclusivamente os músculos, sem nenhum problema estrutural que envolva nervos periféricos.

Indivíduos acometidos por essa doença não apresentam pleno funcionamento de todas as fibras musculares, o que resulta em sintomas de vários tipos. Por ser uma doença pouco conhecida, muitas pessoas não sabem que a portam, mesmo sofrendo os sintomas rotineiramente.

As causas da miopatia são diversas, desde infecção, passando por problemas metabólicos e inflamação por consumo de drogas, até hereditariedade. Há ocorrências em que a causa não é identificada, originando-se a miopatia idiopática. Alguns médicos afirmam que a causa desse tipo está associada a  doenças do tecido conjuntivo como lúpus eritematoso sistêmico, artrite reumatoide, dentre outras.

O diagnóstico é feito por testes laboratoriai15s: testes de creatina quinase, níveis de isoenzimas e de eletrólitos, cálcio e magnésio, níveis de mioglobina e creatinina sérica, ureia no sangue e níveis de nitrogênio. Após esses testes preliminares, deve-se realizar  exame de urina, para verificar incidência de mioglobinúria com poucas células vermelhas.

Um hemograma também deverá ser feito para mensurar as taxas de sedimentação de eritrócitos, testes de função da tireoide, níveis de anticorpos antinucleares, dentre outros dados. O médico pode optar, ainda, pela realização de biópsia muscular e exames de imagem, como a ressonância magnética, para verificar se há relação entre os sintomas e alguma complicação neurológica.

Os principais sintomas da miopatia em sua maioria são genéricos e se  manifestam em todos os tipos da doença. É comum pessoas com miopatia apresentarem dificuldade de locomoção, dificuldade ao levantar e de realizar tarefas rotineiras. Contudo, cada tipo de miopatia tem singularidades. Segue a lista dos sintomas mais comuns:

  • fraqueza;
  • atrofia muscular;
  • dor muscular e hipotonia;
  • mal-estar;
  • fadiga;
  • urina escura devido à mioglobinúria;
  • febre.

Tipos de miopatia

A miopatia se divide em alguns tipos, que são detalhados a seguir:

Distrofia muscular

É originada por uma série de mutações de genes relacionados com a produção de proteínas para os tecidos musculares.

Existem mais de 30 subclasses dentro dessa categoria. As mais comuns são a distrofia de Duchenne, a distrofia de Becker na infância e a distrofia fácio-escápulo-umeral na fase adulta.

O principal sintoma é o deficit muscular progressivo, geralmente indolor, que pode vir acompanhado do aumento patológico das panturrilhas, devido à substituição da musculatura local por gordura.

Distrofia Miotônica (doença de Steinert)

Trata-se da forma mais comum de miopatia. Tem natureza genética e atinge homens e mulheres na mesma proporção, dentro da faixa etária de 10 e 30 anos.

Dentre os principais sintomas podem-se destacar atrofia na região dos ombros, dificuldade para relaxar a musculatura dos membros superiores, fraqueza muscular progressiva, dentre outros.

Miopatia inflamatória

Trata-se de uma condição adquirida por fatores externos ou clínicos. Ocorre inflamação muscular advinda de infecções, tumores ou outras doenças.

Esse tipo de miopatia pode servir de alerta para se detectarem problemas mais sérios no indivíduo.

Tratamento

Devido à variedade de classes e subclasses de miopatia, nenhum tratamento é plenamente eficaz em todas as manifestações da doença. A seguir, apresentam-se resumidamente os tratamentos correspondentes aos três grandes grupos de miopatia supracitados.

O tratamento para a distrofia muscular é predominantemente fisioterápico, muito eficiente no retardamento da evolução dos efeitos da doença.

Na distrofia miotônica, o tratamento se baseia principalmente no uso de medicamentos que aliviam a dor, associados a exercícios de fisioterapia.

O tratamento das miopatia inflamatória foca principalmente na doença que a originou, combatendo-a com anti-inflamatórios potentes ou remédios para reduzir sua ação do sistema imunológico do portador.

 

Quer saber mais? Estou sempre disponível para responder quaisquer dúvidas que vocês possam ter e ficarei muito feliz em interagir com todos sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como neurologista em Porto Alegre!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp